Prudens quid pluma niger secundum

* Por Fantini

Uma viagem só vale a pena se ela te transforma

Camaradas,

Imagino a ansiedade em que se encontram. Afinal, minha primeira viagem
longa, quando rumei para Brasília num encontro com desconhecidos, foi
um misto de suor frio, falta de ar, sono que não vinha e frio na barriga.

Acabei por fazer várias outras viagens com pessoas desconhecidas.
Algumas se tornaram conhecidas, outras foram apenas parte da paisagem,
não importa.

Importa dizer que, para mim, a cada dia de estrada, mesmo pela liberdade
proporcionada e pelo encontro comigo mesmo, isso ainda era pouco e não
fazia muito sentido se não pudesse compartilhar com quem está comigo a
tanto tempo: vocês.

Antes de sermos motociclistas, somos uma irmandade, um Clã. Cada um
tem suas qualidades e seus fantasmas a enfrentar. E considero ser mais
fácil, mesmo sendo uma função estritamente pessoal, vencer seus medos
mais íntimos com a companhia e apoio dos verdadeiros irmãos.

Toda estrada é uma oportunidade de uma experiência transcendental
consigo mesmo. Um momento de reflexão e possibilidade de transformação.
E isso é ainda mais forte na presença de pessoas que temos como irmãos.

Não joguem isso fora.

Abram seus corações. Encontrem a si mesmos.

Uma excelente viagem!

Anúncios